Sixpence None The Richer

Sixpence None The Richer

A trajetória de Sixpence None The Richer

Sixpence None The Richer é uma banda cristã de New Braunfels/Texas, Estados Unidos,  que surgiu em meados de 1992. Os amigos Leigh Nash e Matt Slocum se conheceram por meio de um retiro congregacional. Depois disso, eles tiveram  a ideia de montar um projeto musical. Foi por gostos em comum que os dois escolheram o nome da banda, que aliás, faz analogia sobre uma passagem do livro “Cristianismo Puro e Simples” do autor C.S. Lewis conhecido do grande público pelo sucesso das “Crônicas de Nárnia”. Durante várias fases do Sixpence None The Richer, além de Nash e Slocum a banda contou com a parceria dos músicos como Sean Kelly, Justin Carry, Jerry Dale McFadden, Dale Baker, Rob Mitchell, Tess Wiley e J. J. Plasencio.

Foi ainda em 1992 que o Sixpence lançou a primeira demo e começou a fazer várias apresentações em festivais e igrejas locais. Em 1994, eles conseguiram lançar o primeiro disco chamado “The Fatherless & the Widow” e a indústria musical cristã americana começou a sentir algo novo no ar. Já em 1995 a banda lançava o seu segundo disco “This Beautiful Mess”. Porém, o primeiro grande destaque da banda começa aparecer na canção “Within A Room Somewhere” na cena alternativa pelo EP chamado “Tickets For a Prayer Wheel” de 1996.

six-34

No entanto, o grande sucesso de público só apareceu em 1998, ano que marca uma nova fase da banda – a da popularidade. A música “Kiss Me” chegou aos topos das paradas músicas vencendo a barreira da cena cristã, alternativa e se tornando – mainstream. Talvez, “Kiss Me”, seja o maior sucesso comercial de Sixpence None The Richer. A canção é tão forte que para muitos chega a categorizar como uma das referências musicais da década de 90. Tanto que até hoje, ainda é muito comum essa faixa ser executada nas rádios de várias partes do mundo. Além disso, essa canção consagrou a banda como uma das queridinhas de seriado de TV e cinema. “Kiss Me” foi a faixa principal da segunda temporada do famoso seriado “Dawson’s Creek”, que alias, ganhou a versão de um clipe especial feita para o seriado, que foi exibido com exaustão na MTV. Além de filmes como “Ela é Demais” e “Como Perder Um Homem em Dez Dias”. Nesse álbum, ainda possui outras faixas destaque como a versão da banda britânica The La’s “There She Goes”. Foi com essa faixa que surgiu a primeira polêmica da banda. Na época muito se falava que a letra dessa música, que parecia uma paixão inocente, mas, se tratava de alguém com excesso de  uso de heroína. Em 2000, ocorria a 42 anual edição do Grammy Award, na qual Sixpence None The Richer recebeu uma indicação na categoria “Best Pop Performance by a Duo or Group with Vocal”.

O legado da banda

Quando a década de 2000 chegou, Sixpence já era considerada uma banda de legado e história na música cristã mundial. Mesmo assim eles tiveram que começar a enfrentar as primeiras divergências com a gravadora da época. Por isso, ocorreu uma certa demora no lançamento do disco “Divine Discontent” que só chegou ao mercado em 2002. Forçados a lançar como single “Don’t Dream It’s Over”, “sucesso 80” da banda neozelandesa “Crowded House”, a banda conseguiu chamar atenção e conquistando boas posições musicais, ganhado um clipe, e ainda, entrado na trilha sonora do seriado “Smallville”. Já demostrando sinais de desgaste, em 2004, a banda anunciou sua primeira pausa. Nessa época eles ainda lançaram a primeira coletânea com uma faixa extra – uma versão em japonês de “Kiss-me”. Procurados por vários veículos de comunicação, Matt Slocum se pronuncia e escreve uma carta aberta aos fãs para a revista CCM Magazine explicando os motivos da separação. “Escrevo para dizer que depois de muita pesquisa de alma, decidimos não continuar mais com a banda Sixpence None the Richer, Depois de 10 anos de música, estamos fechando. Nós gostamos de fazer parte das suas vidas”. Sobre o hiato, “Bem, não há realmente uma resposta definitiva sobre o fim. A Leigh tornou-se mãe e planeja focar na vida familiar por um tempo. Eu pretendo viajar pelo mundo e voltar a estudar” completou.

Nesse período, Leigh Nash começa a preparar a sua carreira solo. Muito bem recebido pelo público em 2006, ela lança seu debut “Blue on Blue” e conquista as rádios cristãs com a música “My Idea Of Heaven”. Quando tudo parecia meio perdido, em 2008, Leigh Nash e Matt Slocum decidem voltar com a banda para uma tour. Nessa época eles também chegaram a lançar um álbum especial com músicas natalinas.

Em 2011,  Leigh Nash volta a dedicar-se a sua carreira solo numa vibe mais espiritualizada. Seu segundo disco está repleto de regravações de músicas clássicas da harpa cristã e alguns corinhos conhecidos da igreja americana. Somente em 2012, os fãs puderam escutar um trabalho novo da banda com o lançamento do disco “Lost In Transition” e a canção de trabalho “My Dear Machine”. Atualmente, a banda resolveu novamente fazer uma pausa. No entanto, em 2015 Leigh lançou o seu terceiro disco solo “The State I’m In” esse trabalho é o mais diferente de tudo o que ela já fez. Esse disco mostra uma pegada de country bem característico da sua terra natal, Texas.  Por fim, Sixpence é uma banda que conquistou uma geração de fãs no mundo todo, se consagrou na cultura pop mundial e provou que é possível conquistar o grande público sem deixar de lado a sua fé e manter os dois públicos em vista.

  • Rodrigo

    Excelente texto !!!

  • Cleber Tourinho

    Texto muito bem escrito e que satisfaz os fãs do Sixpence – como eu.
    Muito obrigado!