N1yjsjW8IlUFuFZGkg85l4GcHOohcQ5xMBI3RSLPNUecic1PY4G11i47n-Q288b-D5Eypg=w1896-h770

 

Uma banda de rock, porque toca alto e com vigor, mas também de folk, tendo sempre a mensagem como fio condutor.

 

O coração se enche de emoção e a alma de alegria quando ouço novidades como a Interlúdio. É muito bom sentir o frescor da banda que, mesmo com claras influências, conseguem ser originais e autorais. Com letras bem confessionais e uma sonoridade suave, os caras da Interlúdio trazem um grande alento aos ouvidos de quem procura um som agradável e adorador.

11026029_810086585707567_5616273564241722147_n

“Raiz”, seu disco de estreia, já me agradou desde a capa. Com simplicidade e sofisticação, faz o cara viajar nas formas que os traços criam. Parece que nela o céu, a terra e a natureza estão todos juntos, interligados num emaranhado de raízes. Parabéns para quem criou. 🙂

Partindo para as faixas, o disco começa com a instrumental “Digressão” que já vai criando o clima de reflexão que o álbum terá. Em seguida vem a faixa-título “Raiz” que me fez lembrar as guitarras do Felippe Abreu em “Meus Dias”. Cá entre nós, refrão chiclete e ótimos solos. ^^

“Do Avesso” vem com uma sonoridade regular, o que fez minha atenção correr para a letra que critica a hipocrisia de falar e não ser. A quarta faixa é “Perspectivas” com suas animadas guitarrinhas a la Los Hermanos, influência direta e indireta de uma infinidade de bandas nacionais. Muito bacana. 🙂

“Encontro” é bem a cara ‘metade de disco’, nem boa nem ruim, mas que passa por média. Já “Casa Antiga” é uma balada pop muito up! Uma das minhas preferidas. Ela te tira para dançar por 5 agradáveis minutos. Adorável!

“Monergismo” é um instrumental de guitar que não entendi bem o porquê dela estar ali entre duas baladas, mas tudo bem.

Chegando na reta final do disco vem a faixa 8, uma oração musicada sob o nome de “Às Vezes”.  “Minha Morada” tem uma introdução muito atrativa, elegante e envolvente, mas achei uma canção normal.

E não haveria melhor forma de encerrar o disco que um folk com selo Eduardo Mano de qualidade. “Senhor dos Fracos” tem uma letra top e refrão arretado. Perfeita para pequenos grupos e momentos acústicos.

Num geral, acredito que a Interlúdio começou sua carreira muito bem. “Raiz” é um álbum bastante consistente e bem produzido. Indicado para quem curte a poesia musical de bandas como Aeroilis e Hibernia.

 

Você pode baixar gratuitamente o disco pelo Noise Trade e Bandcamp.

 

_DSC2860-1

 

Ficha Técnica:

Integrantes

Diego Marins: violão/voz/guitarra/synths
Helton Moura: guitarra
Paulo Grua: guitarra
Max Santos: bateria
Daniel Coelho: baixo

Participação: Camilla Ribeiro – hammond em “Raiz” e “Senhor dos fracos”

Gravação: Daniel Cheese e Fernando Campos

Mixagem: Fernando Campos

Masterização: Steve C. – AM Nashville, EUA

Fotografia: Cristian Rojas

  • Excelente! Ouvi ontem correndo e voltarei a ouvir logo mais! Parabéns moçada pelo trabalho, continuem nessa que vai!

  • Saulo Porto

    Belo trabalho! 🙂

  • Diego Marins

    Interessante terem citado Aeroilis. Foi uma das principais bandas que ouvia quando era moleque. Pegaram bem a influência. 🙂