Moya Brennan – Canvas

Ela está de volta! Uma grata surpresa ao saber que a Moya Brennan estava lançando um novo disco. Desde Signature, de 2006, estava saudoso por algo novo dela. Nesse período ela lançou dois discos em parceria com o harpista Cormac De Barra, Voices And Harps (2010) e Affinity (2013), contudo, apesar de bons álbuns, dava para sentir que faltava algo neles.

Canvas é o nono álbum solo da “Primeira Dama da Música Celta”. Mergulhada novamente em suas raízes irlandesas com algumas canções interpretadas em gaélico, Moya também traz traços da música ambiente contemporânea graças aos seus filhos Aisling e Paul, ambos com o frescor dos seus vinte e poucos anos e que também assinam a produção do disco.

Com sua voz sussurante e a tranquilidade sonora marcada também por picos sinfônicos, Moya canta sobre a natureza, a vida e a dor de crianças vítimas da guerra.

Um detalhe importante sobre o disco é a sua capa. Descobrindo sua paixão pela pintura, a própria fez a capa do disco, assim como toda a parte gráfica do encarte.

Simplicidade e encanto marcam Canvas, uma obra perfeita para momentos de meditação e paz.

Destaque para as faixas: A Portrait of my life, Children of War, Where We Once Met e The Duel.

 

Primeiras Impressões: Moya Brennan - Canvas
Mesmo sem grandes inovações, mantem a altíssima qualidade de sempre.
Originalidade90%
Capa90%
Letras90%
Refrão Chiclete70%
Chegou perto do céu90%
Melhores Faixas
  • A Portrait of My Life
  • Where We Once Met
  • The Duel
Pontos Negativos
  • Não ter distribuição nacional
  • Ausência de clipes
90%Total
Avaliação do Público: (1 Votar)
99%

Sobre o Autor

Modernizar o passado é uma evolução musical. (8)

Posts Relacionados