top5

Confesso que a categoria “Worship” e “Louvor e Adoração” me incomodam, afinal, qual a música cristã que não é (ou não deveria ser) uma adoração à Deus? Mas deixando definições mercadológicas de lado, gostaria de compartilhar com vocês 5 álbuns nacionais do estilo que me marcam até hoje.

Vale lembrar que isso é uma lista de preferência pessoal então nem cola falar “ah, faltou esse ou aquele”, beleza? 🙂

 

1. Eduardo Mano – Velhas Verdades

A lista começa com um disco extraordinário. “Velhas verdades” é o resumo musical mais confessional, introspectivo e gracioso da fé cristã que já ouvi. Da faixa título com sua singela e poderosa defesa da verdade bíblica até a confissão intimista de “Como Ninguém Me Conheces”, o som do Eduardo Mano consegue me fazer  chorar em seus 34 minutos de disco. É como se eu mesmo estivesse falando com Deus. Me identifico em todas as letras, pois elas são muito sinceras e reais. Elas são isentas daquele vocabulário raso do mundo gospel.

O disco todo me passa não uma emoção barata, mas a certeza da inspiração divina que fala do meu pecado, da minha pequenez e da maravilhosa graça de Deus. “Velhas verdades” são, para mim, como um salmo moderno.

2. Gerson Borges – Quero Aprender a Orar

Lembro que nem dei muita bola para quando soube que esse disco seria lançado. Deve ter sido um lapso terrível de memória, afinal estamos falando de Gerson Borges, né? Mas fui lá conferir e o resultado foi o silêncio. Atônito e com os olhos em lágrimas fui relembrando a minha miséria e a saudade dos tempos em que eu buscava mais a presença de Deus. Em um tom totalmente intimista, Gerson traz a nossa humanidade para o canto. Fala das nossas fraquezas, das nossas vaidades e das nossas injustiças diárias. É um disco para quem não ter medo de encontrar-se consigo.

Quero aprender a orar Sem pressa Em meio à pressa dos homens Ir ao contrário da corrente louca, querer mais Mas da presença de Deus E ele me cure das dores Que às vezes sinto doer Na cabeça, corpo, na carne do meu coração.

 

3. Adhemar de Campos – Comunhão e Adoração 6

Esse disco é nostalgia pura. Não apenas por ser canções clássicas do meio cristão, mas por me lembrar dos meus primeiros passos na caminhada cristã. Tudo era novidade, o coração ardia em chamas lendo a Bíblia e cultuando. Deus me parecia bem mais perto que hoje. Me dá a sensação que músicas faziam mais sentido naquela época. Mas acho que aí está um problema: ter esse sentimento apenas numa lembrança distante. Ele não muda. Eu que mudei.

4. Filhos do Homem – Casa Favorita/4

Esse é um dos poucos grupos nacionais que atraem minha atenção. Indicado por um amigo há muito anos, passei a acompanhar e me encantar pelo trabalho deles. A sonoridade é bem bacana e as composições tem vários momentos interessantes.

Quem eu sou? Quem tu és ? Quem tu queres que eu seja?

 

5. Nádia Santolli – Antes do Sol Nascer

Produzido por Kleber Lucas e com várias composições dele, “Antes do Sol Nascer” é um baita disco. O fato de ser gravado ao vivo agrega muito ao disco porque o enche ainda mais de emoção. A interpretação conta muito.  Das várias faixas interessantes, o destaque vai para a título que, pra mim, deve ser nossa oração diária.

https://youtu.be/rFJM0WxCfmk  

Antes do sol nascer Quero estar em tua presença

Quero falar de mim Reconhecer meus erros e pedir perdão

Antes do sol nascer Quero lembrar do teu sacrifício Do amor que o fez morrer Do amor que o faz viver e reinar

Quero me ajoelhar Antes do sol nascer Quero me declarar Antes do sol nascer Antes que o mundo acorde E tente negar você Quero adorar..