top-5 breake

Primeiramente, quero frisar que quando leio “discos de louvor e adoração” eu entendo o questionamento e a indagação daqueles que dirão que toda música pode ser de adoração, até mesmo o metal, etc e tal. A questão aqui não é definir o que é e o que não é, muito menos limitar o estilo musical; minha questão é que quando escuto o termo “louvor e adoração” logo faço uma ligação com o louvor comunitário, a adoração pública, músicas que podemos cantar como igreja, todos juntos, batendo palmas e balançando levemente de um lado pro outro, como uma grande plantação de capim. Então fiquem tranquilos, vão faltar nomes incríveis e óbiveis aqui, mas é uma lista pessoal, só isso.

1. Jorge Camargo – Intimidade

De todos os nomes da música cristã nacional, acredito que o Jorge Camargo é um dos que mais conseguem sintetizar a expressão “adorar com o coração”. Suas letras são simples quando precisam ser simples, e poéticas e complexas quando precisam ser mais eruditas, tudo isso sem ser chato e nem mesmo simplista e repetitivo. O álbum Intimidade é sem dúvidas um marco na música cristã nacional, e na minha opinião, deveria ser item indispensável no repertório de todas as igrejas.

“Eu não quero só te conhecer de ouvir falar,
Saber não é o bastante,
Viver é muito mais.
Mais que apenas ver de longe o bom é desfrutar
De tua intimidade,
De toda a tua paz.

Senhor Jesus, não há bem maior
Que viver na luz, que ser seu seguidor.
Ó vem tocar o meu coração,
Eu quero voltar ao primeiro amor

Que ninguém me diga como é doce tua voz;
Eu mesmo vim prová-la,
Ouvi-la me chamar.
Para estarmos juntos fim de tarde no jardim,
Comunhão que embala,
Anelo te adorar.”

“Ver além dos meus erros
Velar-me em todos os passos
Receber-me em Teus braços
Amar-me em meio aos tropeços.

Assim é a Tua bondade.
Não negar-me afeto
Ainda que tão ingrato
E, agindo qual tolo,
Recuse Teu pão e teto.

Assim é a Tua bondade.
Tua bondade, Tua bondade, Tua bondade…”

2. Diante do Trono – Exaltado

Pronto, me julguem, é Diante do Trono na minha lista.

Exaltado é da época que eles ainda gravavam na própria igreja, com coral, metais e o povo todo cantando junto. Os músicos eram incríveis e cada um se destacava naturalmente nas composições dos arranjos. Esse disco foi gravado juntamente com um VHS em 1999 em Belo Horizonte, e é o segundo trabalho do DT. As letras, apesar de algumas versões que já começavam a surgir, eram boas, bíblicas, cristocêntricas e levavam a igreja à cantar junto. Lembrem-se disso jovens, a igreja precisa cantar junto! E o DT sabia fazer isso muito bem.

“Paz e família, abrigo e luz
Minhas necessidades supres todas em Jesus
Mas nem o ouro e a prata podem satisfazer
A sede da minh’alma é a Ti pertencer
Tu és o dono do meu coração
E não há outro (e não há outro)
Só Tu és o dono do meu coração”

3. Heloísa Rosa – Ao Vivo Em São Paulo

Heloísa Rosa é um ponto interessante. Desde sempre ouvia falar dela, e naturalmente cantavamos algumas de suas músicas na igreja, mas eu mesmo nunca tinha parado para ouvir um álbum dela completo, até que ela lançou um DVD top de linha em 2015. Produção excelente, novos arranjos, as melhores composições e versões que ela já fez, enfim, um baita álbum e desde então não sai da minha playlist (mais ou menos). Pelo conjunto da obra de toda a sua carreira e por suas composições que já estão na boca do povo e que o povo as vezes nem sabe que são dela, pelas boas versões de Delirious?, ela merece estar nessa lista.

“O que eu preciso, os homens não podem dar
O que eu preciso, a prata não vai comprar
O que eu preciso, o mundo não pode dar
O que eu preciso, é habitar contigo, ó Deus!
Atraia-me, para perto de Ti
Esconda-me, ó Deus!”

“Pelo teu sangue lá na cruz
Através de ti cordeiro de Deus
Tenho obtido eterna redenção
Os grilhões são quebrados
E a morte vencida
Principados derrotados
E o teu povo se regozija

Estou livre do pecado
Nada pode me prender
Nada vai me impedir de correr”

4. Carlos Sider – Quando é Deus quem faz

Carlos Sider é um talentosíssimo compositor que infelizmente é pouco conhecido pela igreja brasileira. Ele faz a ponte entre a música mais rebuscada com a música de comunidade. Sem muitas repetições, com arranjos simples mas bem construídos, belíssimas harmonias e letras que dizem muito, muito mesmo. Colocaria juntamente aqui o outro álbum dele chamado “Diário de Bordo”, mas como fui impedido pela produção, vou deixar esse mesmo, e você com sua curiosidade depois vai no google e procura mais dele.

“Queria estar ouvindo a Tua história
Contada ao pé das ondas de outro mar
Ouvir da Tua boca as maravilhas que hoje sei
Estar no barco em meio a tempestade
E ver o mar calar por Tua voz
E ouvir falar o cego: “cego era e posso ver”
Eu queria…

Mas apesar do tempo e o tanto
Que me distam do lugar
Te conheço

E ainda hoje a Tua voz prossegue firme
Como é doce a Tua voz
É um convite a te seguir

E quanto mais e mais eu te conheço
Eu vejo quem eu era e hoje sou
E não posso negar que foi Tua voz que me mudou
Nestes dias”

5. Nívea Soares – Glória e Honra

Para finalizar minha pequena e despretensiosa lista, vou com mais uma mulher que fez e tem feito muito pela música congregacional no Brasil. Ao contrário da tendência no mercado gospel, ela sempre se manteve um pouco mais longe dos holofotes, longe das polêmicas e sempre preocupada em mostrar mais Jesus em suas letras. O álbum Gloria e Honra foi gravado ao vivo na Igreja Batista Central em Belo Horizonte, sem muita frescura, com a igreja cantando junto o tempo todo, músicas com letras fáceis e melodias cativantes, bom é isso ai, é a Nívea mandando muito bem.

“Eu quero estar neste lugar
Onde o poder não me corrompa
Riquezas não me ceguem
Eu quero estar neste lugar
Onde o mundo não me atraia
Paixões não me seduzam
Em Tua presença, Senhor Jesus, eu quero estar
Em Tua presença, Senhor Jesus
Santo Espírito, eu me rendo ao Teu agir
Meu anseio é permanecer em Teu amor”