Andra Day

Navegando pelo Spotify me deparei com a Andra Day. Atraído pela capa, cliquei e me apaixonei pelo disco. Um Soul/Black vintage com uma pitada de pop totalmente indicado para fãs de Amy Winehouse e Adele (comparações são quase inevitáveis – ouça Only Love).

Tão encantado pelo seu trabalho, fui em busca de mais informações sobre essa sensacional cantora e me deparei com uma entrevista dada por ela para a cristã Revelant Magazine. Enquanto lia, os olhos brilhavam, a fé se fortalecia e o desejo de espalhar essa “descoberta” crescia cada vez mais.

Atrevi-me a traduzir alguns trechos da entrevista via Google, por isso, não reparem na interpretação livre. Espero que tenha conseguido ser fiel a ideia original do conteúdo.

Em linhas gerais, a Andra Day é um cantora norte-americana que teve uma trajetória de vida conturbada, mas que encontrou a redenção em Cristo e deu um “rise up” na sua vida.

Filha de mãe cristã, Andra dizia professar a fé em Cristo quando jovem, contudo suas atitudes não demonstravam isso. Ela própria assume que:

Eu usava drogas, bebia e vivia uma vida intensa de promiscuidade. Fazia tudo para o meu prazer, inclusive minha música. Tudo para alimentar minha vaidade.

Esse estilo de vida a fez chegar no fundo do poço:

Eu não tinha emprego, completamente quebrada. Dormia no sofá da minha mãe em seu pequeno apartamento e qualquer negócio que eu tinha no momento, basicamente, acabou.

Em meio a todo o sofrimento e sentimento de culpa vividos, ela lembrou da fé da sua infância e voltou os olhos para Cristo. Nesse momento ela contou com um importante apoio para reerguer-se na vida, o icônico Stevie Wonder. Ao entrar no estúdio, ela revelou que:

Eu disse a ele tudo o que eu tinha feito, eu disse a minha família tudo o que eu tinha feito. Lidar com a culpa a vergonha, você sabe, foi um ponto muito baixo na minha vida.

E desse novo momento surgiu Cheers To The Fall,  um disco brilhante e altamente confessional. Quando perguntada quanto a escolha de se expor liricamente, ela respondeu que: “Foi Cristo que me capacitou para ser capaz de dizer essas coisas.”

Ouvir canções desse álbum é um convite a entender o transformador e restaurador amor de Deus. Da miséria humana a alegria da companhia do Santo Espírito, Cheers To The Fall nos torna testemunhas da ação da misericórdia divina em nossas vidas. Andra reforça essa ideia ao dizer que: “Somos testemunhas de Sua graça, de Seu dom, de Seu sacrifício em nosso testemunho e experiências.”

E o bacana é saber que ela faz questão de expor isso para todos. Andra conta que antes dos seus shows, ela ora com sua banda e busca fazer com que suas apresentações sejam um momento intimista que transmita a transformação que ela vivenciou. “O meu desejo é comunicar quão poderoso e capaz o amor de Cristo em mudar uma vida”, conta Day.

A história da Andra é inspiradora por ela ter reconhecido sua precária situação e, principalmente, admitir publicamente suas falhas para reerguer-se com força e humildade.

Estou arrependida por ter magoado pessoas, mas sou grata por quem me tornei e por quão perto eu fui capaz de crescer em Cristo por causa de tudo isso. Eu sempre digo que esses anos foram uma escola. Eu resolvi dedicar novamente a minha vida à Cristo.

Se você quiser ler a matéria original na íntegra, basta clicar AQUI. 🙂

 

O rise up da Andra Day
Apesar de não ser um exemplo de inovação no gênero, o disco traz uma consistência lírica e uma qualidade sonora.
Originalidade60%
Capa80%
Letras90%
Refrão Chiclete69%
Balada60%
Clipes60%
Melhores Faixas
  • Rise Up
  • Only Love
  • Forever Mine
Pontos Negativos
  • Disco curto
  • Falta de originalidade
80%Total
Avaliação do Público: (2 Votes)
86%

Sobre o Autor

Modernizar o passado é uma evolução musical. (8)

Posts Relacionados

  • Eduardo Silva

    Que achado, Baruque! Que músicas lindas!! Parabéns pelo resultado desse garimpo, achou uma jóia e compartilhou com a gente, valeu!!!

    • Alesson Gois

      Eu que agradeço o interesse, Eduardo. 🙂