Faz um certo tempo que conheci o trabalho do Melk Villar, mas, antes de escrever qualquer coisa sobre ele aqui no AM, optei por amadurecer minha opinião sobre o seu trabalho – acredito que foi a melhor coisa que eu fiz.

Dono de uma voz suave e ao mesmo tempo poderosa, conquistou um certo destaque no grupo Coral Resgate. É até hoje na verdade. Só que agora o cara conseguiu liberdade para seguir paralelamente uma carreia solo que promete ser espetacular: uma das novas promessas do gospel.

Em meados de 2013, Melk Villar lançou ao mercado o disco chamado “O amor venceu” do qual chamou atenção pela sensibilidade na voz e letras sensíveis com arranjos bem elaborados de extrema qualidade. A produção desse disco ficou por conta do William Augusto e Jeziel Assunção que também foram responsáveis pela composição da faixa “Aleluia” que contém participação do próprio Coral Resgate.

Além disso, “O amor venceu” contou com composições de pessoas já consagradas da cena adventista como Álysson Melo, Felipe Valente e do também produtor William Augusto. Já a canção de trabalho ficou por conta do próprio Melk Villar chamada “Olha pra mim” e a faixa título do álbum “O amor venceu”.

Uma curiosidade – o design da capa do disco foi feita pelo Lucas Motta. Pra quem não sabe, ele também foi responsável pelas capas dos dois últimos trabalhos de Leonardo Gonçalves e diversos vídeo clipes da Daniela Araújo. Em falar no Leonardo Gonçalves, o moço também fez boa parte do back-vocal nesse disco.

Outro aspecto do disco é ouvir mais uma versão em português de “Ele me Ama” do John Mark McMillan. Talvez, você pode até pensar que essa música não precise de mais nenhuma versão. Até porque à Ana Paula Valadão já fez esse desserviço de estragar essa canção, fazendo milhares de igrejas à repetirem até ficar com a sensação de enjoo. Entretanto, a versão dele é boa e chega a ser tolerável ouvir novamente.

Para finalizar, Melk voltou esse ano com um single incrível chamado “O caminho de volta” da qual foi lançada pela Sony Music Entertainment Brasil. A música é tão boa que eu já fiquei curioso para ouvir o resto do disco que chegará em breve nas plataformas digitais. Enfim, é tão raro surgir coisas novas no ar. Espero que a carreira de Melk Villar seja duradora e repleta de músicas como ele vem apresentando atualmente. Isso faz falta no gospel. Letras boas, porém sem esquecer do espiritual com um certa qualidade vocal apoiado de técnica acompanhado de uma excelente produção e arranjo.