Há tempos queria fazer um post sobre isso. Claro que meu objetivo não é limitar em apenas 5 clipes, afinal existem muitos e muitos vídeos massas por aí (sem falar que o conceito de criatividade é relativo, né?). De qualquer forma, gostaria de compartilhar estes aqui e, se tiver sugestão, manda aí para montarmos os próximos. 🙂

 

Mutemath – Blood Pressure

Todo trabalhado no stop motion, os caras da Mutemath tiraram onda nesse clipe.  Pelo que li, o vídeo foi escrito, dirigido e filmado em menos de 24 horas, durante um dia de folga em Los Angeles, no estacionamento da Warner Bros Records. Dá pra imaginar um pouco da trabalheira que deu vendo o making of logo abaixo do clipe.

 

Veridia  – Still Breathing e Pretty Lies

Com seu rock pop bem comercial, a Veridia traz uma proposta visual bem bacana (e inusitada). Em Still Breathing, o cenário, a edição de cores e a dancinha “a la Sia” resultam num clipe que prende a atenção. Mais simples, mas não menos impactante está Pretty Lies criticando nosso mundo das aparências. Momentos bem exóticos que valem a pena conferir.

Capital Kings – I Can´t Quit

Cada vez mais profissionais e tecnicamente aperfeiçoados, o duo Capital Kings contou com a produção de The Edwards Brothers (Samtubia e Samgoma Edwards), uma dupla de diretores e cineastas premiados, por exemplo, com o Star Wars Fan Film Awards, em 2016. O resultado é impecável.

 

Group 1 Crew – Heaven

Selecionei este clipe mais pela dancinha e pegada urbana que pela qualidade técnica. Acho muito bacana essas coreografias mais contemporâneas. Dá uma contextualização para o público mostrando que não só existe aqueles crentes clichês.

Irma – Save Me

E, claro, não poderia faltar nessa listinha o clipe da Irma. De deixar o queixo caído do início ao fim, o clipe de Save Me deveria ser tombado como patrimônio videoclíptico hehehe. Ele foi produzido pelo estúdio francês Superbien e contou com o seguinte relato:

“Trabalhamos com os diretores Xavier Maingon & Marc-Antoine Hélard e a própria Irma para criarmos o universo gráfico do videoclipe. Primeiro, criamos os storyboards para cada uma das cenas, como a floresta e a cidade. Então criamos uma técnica de animação de Cinema 4D com a simulação de movimento de câmera para antecipar o melhor ponto de vista para cada parte. Com essa animação criamos as sequências e as transições para ficar o mais natural possível. Nós também usamos After Effects para alguns shoots e efeitos, com toda a composição final feita usando After Effects também. O shoot real tomou um dia e cerca de 20-25 takes.”

 

Sugere algum? Manda aí. 😉